fbpx
Quântico Romance
Single: Redenção
Lançamento: 13/05/2022

Faixa 1 - Redenção (5:46)
Faixa 2 - Rainha dos Condenados (6:06)

REDENÇÃO

Influenciada pelos "batidões" do Freestyle oitentista que marcou época e gerações nos bailes funk e festas dançantes do Rio de Janeiro, Quântico Romance traz em Redenção a perspectiva de um eu lírico vampiresco que busca a salvação de sua amada ao mesmo tempo que resigna-se com o inevitável destino que os assombra no horizonte de uma noite sem fim. Seguindo uma tradição de evocação de imagens e contrastes sonoros na obra deste ato musical, Redenção faz um inevitável convite à dança, enquanto seus versos evocam o drama pessoal de suas criaturas noturnas, imersas em uma atmosfera de hipérbole gótica, onde a redenção final só é possível mediante o sacrifício com o sangue abençoado de seus heróis condenados. A canção também presta um tributo em samples ao centenário de Nosferatu - clássico do terror e do expressionismo alemão com falas extraídas da Beaker Sample Pack V2 - biblioteca gratuita de samples com uma gama imensa de trechos de filmes clássicos em domínio público.
RAINHA DOS CONDENADOS
É a canção B-Side deste single, em uma nova incursão deste projeto no universo das baladas. Rainha dos Condenados presta uma pequena homenagem à Anne Rice - mãe de Lestat e inúmeros outros fascinantes vampiros, trazendo um olhar sobre esta criatura da noite perdida entre a sobrevivência, o desamor e a ilusão saudosa de uma existência nunca vivida.
REDENÇÃO ISRC: BR-CJU-22-00001
Eu sei
você não me escolheu
e você também não entendeu
A estaca atravessou o meu peito vazio à luz do Sol
O aço que retina o frio
cortante a pele e o coração
Mataram a inocência na indiferença de suas mãos


Não quis te ver assim
enquanto você se perdeu de si
E eu que fiz tudo por ti, mil estilhaços choveram sobre mim
E eu
pensei em redimir
a esperança vã diante do fim
Me tire o sangue por favor e abençoe meu Deus nosso senhor


Eu vi
que a tua noite não tem fim
Enquanto muitos carregam a solidão
Perdidos por entre cinzas e os restos mortais de um artesão
E a estrada que nunca termina
O fim da linha, a divisão
E a quem curou nossas feridas
O auge a queda e a redenção

RAINHA DOS CONDENADOS ISRC: BR-CJU-22-00002
Eu te vi sozinha como quem ouve uma sinfonia
Você era silêncio e devoção
Trevas que tu quisestes como quem sente a nostalgia
Sedenta de poesia e de escuridão
Eu te vi sozinha ganhando a vida de esquina em esquina
E aquele que te amava não te queria


Vai a inocência em gotas doces de vinho tinto
Teu beijo de boca em boca é um grito aflito
Rainha e redentora dos condenados deste martírio
Se tudo te é negado ame o vazio


E as coisas que não dissemos se tornam sombras de um dia cinza
As sombras de uma estação entre o sim e o não
E a noite que cai serena a silhueta da morte e a vida
Seus filhos tão peregrinos nossos vampiros


Eu te vi sozinha ganhando a vida de esquina em esquina
E aquele que te abusava não te queria
Teus olhos eram saudade de uma existência nunca vivida
Teu crime foi o pecado de ser maldita

Ficha técnica
Escrito e produzido por Karlos M. Junior
Vocais por Karlos Junior e Bruno Dorian (Faixa 2)
Guitarras por Fabrício Patrocínio
Arte da capa por Enrique Meseguer (darksouls1) licenciado por Pixabay https://pixabay.com/pt/users/darksouls1-2189876/
CONTAGEM REGRESSIVA (3, 2, 1..)
* Este é o antepenúltimo single que antecede o lançamento do primeiro álbum completo de O Quântico Romance, especialmente dedicado a românticos, românticas e sonhadores que são a razão deste ato musical existir.